Comum em todas as faixas etárias, a lombalgia pode ser resultado do envelhecimento, sedentarismo, erros de postura e obesidade. A automedicação não é recomendada e somente a consulta com o ortopedista é capaz de diagnosticar o problema.

Este artigo vai ajudá-lo a compreender as causas, sintomas e tratamento para a dor lombar.

Vem com a gente!

O que é Lombalgia?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que sete em cada dez pessoas sentirão essa incômoda dor ao longo da vida. Considerada a segunda causa mais comum em consultas médicas, a lombalgia afeta a região lombar inferior.

Como a dor na lombar pode ser sintoma de diversas doenças, o diagnóstico costuma ser concluído após uma série de exames físicos e, dependendo do caso, raio X , tomografia e ressonância magnética.

Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia, a maioria das dores lombares é causada pelo mau uso ou uso excessivo das estruturas da coluna, esforços repetitivos, excesso de peso, traumas, má postura corporal e osteoartrose da coluna, inflamações, infecções, além de fraturas e lesões.

Quais os principais sintomas?

Normalmente sentida como uma dor, tensão ou desconforto nas costas, a sua intensidade é variável e pode ser classificada como aguda, subaguda ou crônica.

• Lombalgia Aguda: a dor é forte e dura em torno de três semanas. Normalmente causada por um esforço físico, ela ocorre na população mais jovem.

• Lombalgia Subaguda: dores fortes que duram de um a três meses.

• Lombalgia crônica: com duração superior a três meses, ela é mais frequente em idosos. A dor crônica demanda exames mais detalhados para seu diagnóstico e pode ter causas diversas, sendo necessários exames minuciosos.

Além dos sintomas mais comuns, o paciente também pode sofrer com contrações musculares, limitação de movimentos dos quadris, incômodo ao caminhar e dificuldade para dormir. As dores também podem se estender para outras regiões do corpo, como quadril e pernas. Ansiedade e depressão podem vir associadas a lombalgia crônica.

lombalgia

Como tratar?

Após o diagnóstico, o médico irá lhe orientar sobre o tratamento e prescrever medicamentos para alívio da dor, como analgésicos, anti-inflamatórios, corticoides, opioides e miorrelaxantes. Em casos extremos, pode ser indicada uma intervenção cirúrgica.

O repouso é indicado na fase aguda, mas após esse período é importante a prática de exercícios físicos, alongamento e reeducação corporal.

Cerca de 50% dos pacientes melhora após uma semana, 90% após 8 semanas e somente 5% apresentam sintomas por mais de seis meses.

Como prevenir?

Mudar hábitos diários pode ajudar a evitar a lombalgia. Entre elas:

• Evitar carregar muito peso;

• Não ficar curvado por muito tempo;

• Evitar esforço físico excessivo;

• Evitar colchões muito moles ou muito duros;

• Evitar fumar;

• Alongar-se diariamente;

• Praticar exercícios físicos;

• Usar sapatos adequados;

• Manter uma boa postura.

lombalgia

Não esqueça: somente um profissional devidamente habilitado pode indicar tratamentos e receitar remédios. Ao sentir os primeiros sintomas, não hesite em procurar atendimento médico.

A Clínica Otur disponibiliza esse serviço. Agende uma consulta com um de nossos especialistas e conte com o que há de melhor e mais moderno em ortopedia e traumatologia!

Leave a Reply